' '

SÃO COSME E DAMIÃO

São Cosme e São Damião nasceram na cidade de Egéia, na Arábia, por volta do ano 260. Eram gêmeos, filhos de família nobre. Sua mãe, Teodata, ensinou-lhes a fé cristã. E ensinou-lhes de tal forma, que Jesus Cristo passou a ser o centro de suas vidas.


Cosme e Damião foram estudar na Síria, na época, um grande centro de estudos e formação. Lá, os gêmeos se especializaram nas ciências e na medicina. Tornaram-se médicos famosos pela competência, obtendo grandes sucessos nos tratamentos, como também na caridade para com os doentes.

Por causa da profunda formação cristã que tiveram, os irmãos, vivendo num mundo paganizado, decidiram atrair as pessoas para Jesus Cristo através do exercício da medicina. E faziam isso não de maneira impositiva ou constrangedora, mas, principalmente, através da caridade, do amor e da competência.

Além disso, eles não cobravam por seus serviços médicos. Por esta razão espalhou-se a ideia de que os dois gêmeos médicos não gostavam de dinheiro. Não era bem isso. Na verdade, os dois eram grandes almas que sabiam dar ao dinheiro o seu devido lugar. Eles queriam curar as pessoas no corpo e na alma, levando a elas também os ensinamentos e a salvação de Jesus Cristo. Por este motivo, São Cosme e São Damião são os padroeiros dos médicos, das faculdades de medicina e dos farmacêuticos.

A perseguição contra Cosme e Damião

Na mesma época em que eles trabalhavam e ensinavam em nome de Jesus, o imperador Diocleciano lançou uma grande perseguição contra os cristãos. E o local onde eles viviam era dominado pelos romanos. Por isso, eles foram presos sob a acusação de feitiçaria e de espalharem uma seita proibida pelo imperador. O imperador odiava os cristãos porque eles desprezavam os deuses romanos e adoravam somente Jesus Cristo.

Cosme e Damião foram tirados violentamente do local onde atendiam os doentes e levados ao tribunal.  Lá, foram acusados de feitiçaria, por curarem os doentes e de pregarem uma seita proibida. Ao serem questionados sobre isso, responderam: Nós curamos as doenças em nome de Jesus Cristo, e pelo seu poder. Ele é o Filho de Deus que veio a este mundo para salvar e para curar. No tribunal, foi exigido deles que renunciassem à fé em Jesus Cristo e começassem a falar aos pacientes sobre os deuses romanos. Eles se recusaram, não renunciaram aos princípios do Evangelho e por isso foram duramente torturados.


Martírio de São Cosme e São Damião

Cosme e Damião foram condenados à morte por apedrejamento e flechadas. Tudo foi preparado, então, para a execução da pena. A pena foi executada por carrascos experientes. Os santos irmãos gêmeos, porém, não morreram. Então, o magistrado ordenou que fossem queimados em praça pública. Executaram a sentença, mas o fogo não os atingiu. Cosme e Damião não paravam de louvar a Deus por estarem sendo dignos de sofrerem por Jesus Cristo. Os pacientes que eram atendidos por eles, que ainda não tinham se convertido, se converteram ao verem essas coisas. Os soldados decidiram afogar os dois, mas eles foram salvos por anjos. Por fim, a mando do magistrado, os torturadores lhes cortaram as cabeças.

Devoção a São Cosme e São Damião

Cosme e Damião foram sepultados pelos pacientes que tinham sido curados por eles. Mais tarde, seus restos mortais foram transladados para uma Igreja dedicada a eles, construída pelo Papa Felix IV, em Roma, na Basílica do Fórum. Lá e em toda a Igreja, eles são venerados como santos mártires, ou seja, morreram por testemunharem sua fé em Jesus Cristo e não renegarem esta fé. A festa de Cosme e Damião é celebrada no dia 26 de setembro.

Oração a São Cosme e São Damião

São Cosme e São Damião, por amor a Deus e ao próximo, consagrastes a vida no cuidado do corpo e da alma dos doentes. Abençoai os médicos e farmacêuticos. Alcançai a saúde para o nosso corpo. Fortalecei a nossa vida. Curai o nosso pensamento de toda a maldade. A vossa inocência e simplicidade ajudem a todas as crianças a terem muita bondade umas com as outras. Fazei que elas conservem sempre a consciência tranquila. Com a vossa proteção, conservai o meu coração sempre simples e sincero. Fazei que eu lembre com frequência estas palavras de Jesus: deixai vir a mim as criancinhas, pois delas é o reino do céu.
São Cosme e São Damião, rogai por nós, por todas as crianças, médicos e farmacêuticos. Amém.  

SIMBOLISMO

A imagem dos santos Cosme e Damião, conhecidos também como os santos gêmeos, conta-nos muito sobre a vida desses dois irmãos que se santificaram através do exercício da medicina, da oração e da doação aos mais necessitados. Os dois irmãos estudaram medicina na Síria e exerceram o ofício em várias cidades do Oriente Médio por volta do ano 260. Eles conhecidos como padroeiros dos médicos, farmacêuticos e protetores das crianças. Vamos saber porque através dos símbolos contidos em sua imagem.

A túnica verde. A túnica verde de Cosme e Damião simboliza a esperança e a vida que vence a morte. De fatos, os santos gêmeos venceram a morte de duas maneiras: primeiro, através de seu martírio. Dando suas vidas por Jesus Cristo, eles receberam a vida eterna. Segundo, através do exercício da medicina eles salvaram muitas vidas, 'vencendo a morte temporariamente' nas vidas de seus pacientes.

O manto vermelho. O manto vermelho de Cosme e Damião simboliza o martírio dos santos gêmeos. Eles foram decapitados por causa da fé em Jesus Cristo, que eles manifestavam abertamente. Juntando sua fé ao exercício da medicina, eles curaram muitos doentes não só fisicamente, mas também espiritualmente, levando-os ao conhecimento de Deus. Porém, esta prática custou-lhes a vida: foram acusados de 'cristianismo' e mortos por causa da fé.

O colarinho branco. O colarinho branco de Cosme e Damião simboliza a pureza de coração desses dois irmãos. Pureza esta que transparecia no exercício da medicina praticada pelos dois: atendiam a cada paciente como fosse o próprio Jesus Cristo, dispensando a eles todo amor e atenção de que precisavam. Sem dúvida, este amor dado aos pacientes era um passo em direção à cura.

O medalhão. O medalhão de Cosme e Damião simboliza a fé que esses dois santos professavam: a fé em Jesus Cristo. Os dois medalhões tem a face de Cristo, médico dos médicos que os gêmeos anunciavam.

As caixinhas de presente. As caixinhas de presente que Cosme e Damião seguram em suas mãos tem dois significados. Primeiro, elas representam os unguentos e remédios que os irmãos preparavam para dar de presente aos pacientes. Por isso eles são os padroeiros dos farmacêuticos, pois rezavam, estudavam, preparavam e davam o remédio acertado a cada paciente. O segundo significado das caixinhas de presentes é que, junto com a cura física, os dois irmãos davam a seus pacientes o maior de todos os presentes: a fé em Jesus Cristo, pela qual deram suas vidas.

A palma. A palma de Cosme e Damião simboliza a vitória dos mártires: vitória sobre o pecado e vitória sobre a morte, pois, dando vida por Jesus Cristo, eles renascem para o céu. Assim aconteceu com os irmãos santos Cosme e Damião. Preferiram morrer a renegar o que tinham de mais precioso: a fé em Cristo. Por isso, receberam a vitória final destinada aos santos. Por isso seguram a palma da vitória.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, reservo o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica ou invasão de privacidade pessoal/familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.